NOVA FRONTEIRA DA PESCA ESPORTIVA Voltar

Fartura de peixes é resultado da prática de Pesca Esportiva. Dourados gigantes com mais de 30 quilos, piaparas de 6 e 7 quilos.



DOURADO-Turma-jose-neto
Dourado Jorginho 2015
dourado_uruguai

-> Dourados gigantes com mais de 30 quilos, piaparas de 6 e 7 quilos.

-> Primeiro trimestre de 2015 rio Uruguai registra marca histórica nos resultados de pescaria em toda a Bacia do Prata.

-> Fartura de peixes é resultado da prática de Pesca Esportiva.

No primeiro semeste de 2015 os dourados gigantes, com 30Kg e até mais,   surpreenderam a todos os pescadores, os experientes Operadores de Turismo de Pesca e inclusive os guias locais, no rio Uruguai em Concórdia- AR.

Para se ter uma ideia, no dia 27 março foi registrada a média por lancha, de 80 grandes dourados fisgados e soltos. Isso significa que cada pescador fisgou um dourado a cada doze minutos, numa jornada de 8 horas de pescaria, o quê foi motivo de grande alvoroço entre os protagonistas da façanha – os Pescadores.

Vindas de Belo Horizonte-MG e Brasília-DF, duas turmas de experientes Pescadores- alguns com mais de 35 anos de pescarias mundo afora, todos pela primeira vez visitando Concórdia-AR, declararam em consenso jamais terem conhecido outro lugar, outro rio sequer parecido e com tanta fartura em ações, linhas arrebentadas, varas quebradas etc. O caso foi motivo de grande euforia e felicidade entre os pescadores visitantes, além de fortes dores de cansaço nos braços e pernas.

Outra equipe mineira, de Seo Nute, vinda da cidade de Claudio-MG, com 16 pescadores, em 4 dias de pesca fisgou e soltou mais de 700  dourados, dentre eles exemplares entre 20 e 28 quilos, afora Piaparas de até 7 quilos e surubins entre 10 e 25 quilos. Vale salientar que a única modalidade permitida aos visitantes nesta porção do rio é o pesque e solte, 100%.

Mesmo os experientes Operadores de Turismo de Pesca responsáveis pela consultoria e organização dos pacotes e também pelo receptivo local, foram tomados de surpresa. E até os guias de pesca locais, bastante conhecedores do rio, ficaram espantados, mesmo conhecendo bem a riqueza e fartura do rio Uruguai.

Com pouco mais de um ano de atividades a OPERAÇÃO DOURADOS GIGANTES DO RIO URUGUAI – empreendimento exclusivo do Grupo Pesca Sem Fronteiras em parceria com atendentes locais - já trouxe ao rio Uruguai mais de 500 pescadores esportivos, vindos de várias partes do planeta, principalmente do Brasil.

Com o elevadíssimo grau de satisfação dentre os clientes atendidos, o feedback deles  permitiu levantar dados importantes para uma avaliação mais precisa desta nova Operação de Pesca. Nas palavras do pescador mineiro seo Nute, compartilhada com vários de seus colegas de equipe, como o João Luiz Barquete: “…Igual a esse rio não existe. É impossível de acreditar. Com certeza o Rio Uruguai pode ser chamado de a mais nova fronteira da Pesca Esportiva para todo o mundo, certeza, uai. E nós vamos voltar, nossos outros amigos também”.

Conclui-se, portanto, que o Rio Uruguai tem-se mostrado o local de maior produtividade de Pesca, ao menos da América do Sul, indiscutivelmente. Oxalá do mundo. Não apenas pela qualidade e tamanho dos peixes, principalmente dourados e piaparas, como também pela quantidade. Vale relatar a também boa regularidade do espécime Surubim, em tamanhos que variam de 10 a 50 quilos e que entre um dourado e outro tem proporcionado também grandes emoções aos visitantes. Merece o título de NOVA FRONTEIRA DA PESCA.

O rio Uruguai, a Barragem de Salto e o Salto Chico

Pertencente à Bacia do Prata, o rio Uruguai nasce em terras brasileiras e à certa altura passa a fazer fronteira entre Argentina e Uruguai. De águas rápidas e muitas corredeiras e saltos, pequenas cachoeiras, este rio em seu percurso recebeu inúmeras contruções de barragens/ usinas hidrelétricas.

Na porção da Fronteiras entre as cidades de Concórdia-AR e Salto-UR, existiam uma pequena cachoeira de nome Salto Grande e que emprestou o nome à barragem que alí foi construída e outra menor mais abaixo, na verdade uma corredeira, chamada de Salto Chico, preservada na forma original sem qualquer interferência humana.

A barragem de Salto, por assim dizer, é a última hidrelétrica existente no rio até o delta do rio da Prata, onde desemboca e suas águas se juntam às do rio Paraná.

A construção da barragem de Salto tornou-se num obstáculo à migração dos peixes, o que favorece sua concentração, já que não possui escada para subida de peixes.

A fartura de peixes e a Pesca Esportiva = desenvolvimento sustentável

A crescente procura pelas pescarias nesse trecho do rio, abaixo da barragem, vem exigindo cada vez mais o emprego de pescadores ribeirinhos locais para atuarem principalmente como Guias e Pilotos de lanchas, dentre outras funções. Estes profissionais, até menos de dois anos atrás quando não haviam os turistas pescadores na escala atual, dependiam muito da pesca para sobreviver vendendo peixes. Atualmente, com a experiência junto aos pescadores esportivos e melhores ganhos como guias/pilotos, acabaram percebendo que o peixe passou a valer muito mais dinheiro se mantido vivo. Preservar passou a ser a melhor fonte de renda da comunidade ribeirinha. Combinando essa realidade com o fato de que a barragem favorece a concentração de cardumes e, mais recentemente, uma melhor atenção do poder publico local, eis a receita da grande fartura de peixes e o sucesso das pescarias.

Lição para o Brasil? Há de se pensar.

Pesque e solte: pratique essa ideia!       >>> Visite os álbuns de FOTOS no site - clique aqui

01.04.2015
Copyright © 2005 João Carlos "Pescador de Jaú" Todos os direitos reservados Gestão Ativa - Soluções Web