Entretenimento




O início de um sonho - História do Pescador de Jaú


João Carlos "Pescador de Jaú"

Em meados de agosto de 1993 fui pescar na Fazenda Cometa, que fica na margem direita do Rio Apa, na Colônia Cachoeira, município de Porto Murtinho. Até então, só conhecia o Rio Apa nas proximidades do Destacamento Militar de São Carlos, no município de Caracol.

Eu era sargento de carreira nas fileiras do Exército e por estar servindo na 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada de Dourados, vira e mexe eu ia pescar com o saudoso general Bulcão naquele local. Juntou a fome com a vontade de comer... o general adorava pescar e eu mais ainda...

Bem! Lá da fazenda descíamos pescando e eu fui ficando impressionadíssimo com a paisagem. Uma natureza exuberante: as praias, os bichos, quantos jacarés, jacus, jacutingas, mutuns, araras, tucanos e muitos outros.

Um fato interessante chamou-me a atenção. Não vi outra alma viva de gente sequer, além dos companheiros do grupo. O dr Manson, que era superintendente da Polícia Federal em Campo Grande, me explicou que a colônia vivia isolada do mundo, sem estrada e quase ninguém conhecia o Rio Apa.

Eu já nem prestava mais atenção no que ele dizia. Minha imaginação ia ao longe, apreciando a coisa toda, como seria... como eu faria... quem toparia viver ali, enfim. Fiquei divagando em meus pensamentos. Algo mágico transportara-me ao futuro e num repente, vapt! Fisguei um pacu enorme na rodada e era um baita peixão.

À noite, depois de muita cerveja e peixe assado, perguntei ao proprietário da fazenda, Seo Teruo, se conseguiria adquirir algum lote de terra por aquelas bandas. Fiquei sem resposta, pois ele estava dormindo sentado!

Fui dormir pensando naquilo tudo. Viemos embora daquela excelente pescaria e arquivei a idéia.

Dois anos depois depois dessa pescaria, já havia pedido demissão do Exército Brasileiro, e residindo em Sumaré-SP, ao relembrar das pescarias que havia feito, um amigo me propôs uma pescaria, coisa que ele tinha imensa vontade e nunca tivera oportunidade. Eu serviria de guia e marcamos a data para a semana seguinte.

Comecei a relembrar de todo o encanto do Rio Apa e daquelas paisagens magníficas e do baita pacu que eu tinha fisgado.

Pouco antes de chegar a Porto Murtinho dei carona a um senhor que falou-me de umas terras à venda na Colônia Cachoeira. No dia seguinte, estávamos lá eu e o Zeca, que nos mostrou a área. E como diria o Dr. Manson, “que coisa de doido!”, um espinheiral dos diabos.

Para chegarmos até a margem do rio andamos uns dois quilômetros a pé por trilhas abertas no meio dos pés de arumita, isso pelo rumo mais curto.

Aquela área antigamente era de pastagem e lavoura que, depois de anos de abandono, enchera-se desses espinheiros, que em São Paulo conhecemos por “arranha-gato”. Imaginem...

Bem, voltei algumas vezes para estudar os documentos da área, enfrentei resistência na família, etc. Mas como sou otimista ao extremo e costumo dizer, pela minha fé cristã, que “nada acontece por acaso”, persisti.

Eu tinha uma farmácia 24 horas que fora assaltada pesadamente duas vezes em menos de dois meses (1995) e o ramo em que meu pai atuava também estava em queda – a famosa crise do setor têxtil ocorrida após a liberação das importações dos tecidos asiáticos.

No início de 1996 propus então a meu pai virmos para o Mato Grosso do Sul, com o objetivo de construirmos uma pousada e área de camping e receber turistas e pescadores. Que tal?

Depois de muitos cálculos e projetos; com o incentivo de alguns e desanimadores conselhos de outros, tomei a frente e partimos para essa aventura. Fome não passaríamos, pois peixe e mandioca são fáceis de preparar e são muito nutritivos. Quem diria...

Vendi tudo o que tinha para o empreendimento constituído com muito amor, suor e até lágrimas - que aventura! sofrimento. Mas chegamos onde nem sonharíamos chegar. Tudo voltado para o lazer da família e das pessoas de bem, amantes da pesca esportiva e da natureza.

Em 2005, como que consagrando o nosso trabalho, levamos ao ar o Programa Pesca Sem Fronteiras, onde mostramos as pescarias gravadas com nossos clientes. E as matérias passaram a ser veiculadas em várias emissoras do país. Vale a pena assistir. Quem diria...

Por fim, com toda a experiência adquirida e por conta da demanda com as gravações do Programa para a TV, então naturalmente passei a conhecer diversas partes do Brasil, outros rios famosos, pousadas, Barcos Hotéis... migramos as atividades para a Operação de Turismo de Pesca Esportiva. Nova etapa e novos objetivos: 1. com todo o Know How adquirido nas andanças das pescarias e o tempo dedicado a elas, formatarmos pacotes personalizados a cada gosto ; 2. darmos suporte às inúmeras Agências de Turismo que se tornaram parceiras para a venda dos pacotes; 3. Dar toda a consultoria e assessoria aos pescadores que nos procuram diretamente - tomamos partido dos pescadores ao indicar os melhores locais de acordo com as épocas e vice-versa, organizamos a logística para as pescarias solicitadas; 4. democratizar as pescarias, tornado-as acessíveis a todas as classes sem perda da qualidade, aliás, aumentando consideravelmente a qualidade dos serviços; 5. simplificar para os clientes a escolha do local para pescar e o meio de hospedagem, orientar quanto às modalidades de pesca,  etc., e por aí vai.

O que "era" a sonhada pousada acabou por se transformar em nossa morada de veraneio. Não recebemos mais clientes no antigo Paraíso do Apa desde que foi baixado um Decreto estadual proibindo qualquer modalidade de pesca na região do famoso "CACHOEIRÃO". A área toda reflorestada desde que adquirimos a propriedade hoje é simplesmente nosso "Paraíso Particular".

E o rio Apa?... continua sendo nossa "menina dos olhos". Temos feito grandes pescarias, porém, na região onde a pesca ainda é permitida - todo o trecho próximo da FOZ DO RIO APA - Pesque e solte, é claro!!!

E o sonho?... ah!, sem dúvida mais que realizado. Trabalho reconhecido internacionalmente.

E como valeu a pena! Deus seja louvado!

* Digno de nota - Aprendizado desses tempos: "Amigo verdadeiro nas horas difíceis fica. Os "outros" vão embora, simplesmente"


Copyright © 2005 João Carlos "Pescador de Jaú" Todos os direitos reservados Gestão Ativa - Soluções Web